Homenagem aos fregueses antigos, da época do Seu Juca

Conta pra nós: em quantas lojas você faz compras há mais de 5 anos? E há mais de 10
anos? E há mais de 30 anos? Quantas lojas conseguem te encantar não só pelos produtos
mas também pelas experiências que elas proporcionam?

Muito antes da palavra ‘fidelização’ virar tema de palestras e livros de gestão empresarial, a
Mercearia Paraopeba dá aula sobre como estabelecer relações duradouras com os seus
clientes. Tem gente que compra aqui há décadas (sim, décadas!), como o professor Rui de
Melo, figura conhecida da comunidade de Itabirito e que formou muita gente durante os
seus 50 anos de dedicação ao magistério. Cada vez que ele vem à Paraopeba, é motivo de
muita alegria, pelo seu exemplo de generosidade e fino trato com todos que o cercam.

Outra pessoa que contribuiu muito com a nossa cidade e que nos honra com a sua
presença frequente há muitos anos é a Dona Carmen das Candeias. Como cuidadora da
Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem, ela foi, por muitos anos, uma das
responsáveis pela preservação de um importante patrimônio da nossa Itabirito.

Tem também a Dona Anita, que adora usar os ovos caipiras em seus quitutes e que, com toda a
calma mineira, escolhe na cesta um por um prá formar a dúzia que ela leva para casa. Com base
no quê ela faz essa seleção, a gente não sabe e ela não conta esse segredo.

Agora, como bons mineiros, se tem uma coisa que eles são bons é em contar ‘causos’ sobre
esta jovem cidade chamada Itabirito. Não raro, você pode estar na Paraopeba e ser agraciado
com uma um desses ‘causos’ contados pela Dona Almerinda, pelo Seo Pereira e tantos outros.
Na sua próxima visita, fique de olho e dê um dedim de prosa para esses clientes que se
tornaram amigos e tornam a experiência da Paraopeba inesquecível. É tão apaixonante que você
vai querer voltar muitas e muitas vezes também!

A gente tem a alegria de ter freguesas como a Dona Almerinda. Como diria Lulu Santos, é “gente
fina elegante e sincera”.

Somos agraciados aqui na Paraopeba. Temos fregueses de muito tempo e um do seu jeito, mas
todos sempre presentes. É o caso do Sr. Pereira, freguês das antigas!

Leave a comment