Mercearia Paraopeba

Uma viagem ao passado de Minas Gerais

Quem é que nunca sonhou em viajar no tempo e saber como era a vida de seus avós e bisavós? Um tempo em que as pessoas tinham sempre um minuto livre para uma boa prosa na mercearia e lá ficavam sabendo das últimas notícias da cidade. Um tempo em que a comida era feita em casa e em que amigos e família se reuniam ao redor da mesa para apreciar as quitandas feitas com ingredientes regionais. Sim, definitivamente, um tempo que passava mais devagar e que deixou muita saudade.

Incrustada entre montanhas, vales e cachoeiras, a pequena cidade de Itabirito tem uma longa história. Nascida como um arraial no final do século XVII, quando a extração do ouro estava no seu auge, a cidade foi emancipada em 1923. Sua economia hoje é baseada em mineração e na agropecuária, com centenas de agroindústrias de base familiar que preservam, com orgulho, os sabores e saberes tradicionais. Receitas de família anotadas nos caderninhos e passadas de geração em geração.

É justamente nessa cidade acolhedora que a nossa família vem trabalhando há décadas, atendendo de forma carinhosa numa mercearia que tem de tudo um pouco: desde o sabão de cinzas ao alho no azeite. Desde as petecas artesanais ao fubá de moinho d’água. Venha. Você vai se encantar pelo tanto de ‘trem’ que tem aqui nos nossos “imensos” 26m2 . Em cada cantinho, contamos histórias e causos para quem busca uma autêntica experiência mineira.

Os produtos que vendemos vêm, em sua maior parte, de pequenas propriedades rurais e artesãos locais. Pessoas simples e que confiam na gente para distribuir o que eles têm de melhor: o fruto do seu trabalho. Produtos típicos, frescos e produzidos em pequena escala – é muito amor envolvido! Isso nos enche de orgulho. Um tanto que você nem imagina!

Mais do que apenas vender, nos  esforçamos para receber cada pessoa que entra pela nossa porta da melhor maneira possível. Por isso, mais do que sacolas com produtos, os fregueses levam lembranças de uma deliciosa experiência de compra que aconteceu em pleno século XXI mas que poderia ter acontecido na década de 1950 igualzinha, do mesmo jeito que o Juculau, o nosso eterno Seu Juca nos ensinou. Talvez você saia daqui com mais saudade do que entrou. Pode acontecer. Mas, certamente, se conectará com as raízes de toda uma comunidade formada por gente trabalhadora, criativa e acolhedora que é o povo das nossas Minas Gerais.

Leave a comment